BLOG

Obesidade

08 ago

Obesidade

Obesidade é a condição em que o indivíduo se encontra com índice de massa corporal (IMC) igual ou acima de 30, enquanto Sobrepeso é quando possui IMC igual ou acima de 25. O resultado é obtido pela divisão do peso do indivíduo pela altura ao quadrado. Veja os exemplos abaixo:

Exemplo 1: homem que pesa 80Kg e mede 1,60m.

IMC = 80 / (1,60)2 = 31,25 kg/m2 = OBESO

Exemplo 2: homem que pesa 80kg e mede 1,76m.

IMC = 80 / (1,76)2 = 25,82 kg/m2 = SOBREPESO

 

Causas

 

A obesidade é considerada uma doença crônica, multifatorial e o distúrbio nutricional mais comum na infância. O aumento crescente do número de obesos no mundo indica a grande participação do ambiente na gênese da doença, com hábitos dietéticos, sedentarismo e fatores psicossociais, responsáveis por 95% dos casos. Cerca de 5% dos pacientes obesos exibirão alguma causa identificada sendo 2% associados a síndromes genéticas raras, e o restante a causas endócrinas e secundárias a medicamentos.

Dentre as desordens endócrinas que podem conduzir à obesidade temos o hipotireoidismo e problemas no hipotálamo, mas que representam menos de 1% dos casos de excesso de peso. Outros problemas dessa mesma origem incluem alterações no metabolismo de corticosteróides, hipogonadismo em homens e ooforectomia em mulheres, e a síndrome do ovário policístico, a qual pode estar relacionada a mudanças na função ovariana ou à hipersensibilidade no eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP, quatro em cada cinco crianças obesas permanecerão obesas quando adultas (SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA, 2012). Os períodos mais críticos para o desenvolvimento da obesidade são: fase intrauterina, os primeiros dois anos de vida e a adolescência.

 

Consequências

 

A obesidade está relacionada a inúmeras possíveis comorbidades, como você pode ver na tabela 1.

 

Tratamento

 

O tratamento da obesidade implica melhora ou resolução de várias doenças associadas. É importante ressaltar que apenas 10% dos pacientes com obesidade são diagnosticados e porcentagem inferior a 2% dos mesmos recebem tratamento para obesidade. Sabe-se que o tratamento clínico (mudança de estilo de vida e medicamentos) reduz em média 10% do peso corporal, daí a importância de um diagnóstico e intervenção precoces. E o tratamento cirúrgico da obesidade reduz em média 30% do peso corporal (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E DA SÍNDROME METABÓLICA, 2016).

O tratamento consiste em abordagem multidisciplinar, envolvendo endocrinologista, nutricionista, educador físico, cirurgião bariátrico, psicólogo e psiquiatra. Observem o nomograma que norteia o tratamento da obesidade:

Fonte: ANS, 2017

 

Notem que há diferentes situações, cada uma com um nível diferente de gravidade. O tratamento se torna mais invasivo ao ponto que o indivíduo se encontra com IMC mais elevado ou com doenças relacionadas ou agravadas pela obesidade.

 

 

Escrito por Dr José Paternostro

Especialista em Endocrinologia da Clínica Dr Examina

 

 

Referências:

 

  1. ANS, MANUAL DE DIRETRIZES PARA O ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE NA SAÚDE SUPLEMENTAR BRASILEIRA, 2017. http://www.ans.gov.br/biblioteca/index.html
  2. FRANCISCHI, Rachel Pamfilio Prado de et al . Obesidade: atualização sobre sua etiologia, morbidade e tratamento. Nutr.,  Campinas ,  v. 13, n. 1, p. 17-28,  Apr.  2000

 

 

Links relacionados:

 

Sobre ENDOCRINOLOGIA

Sobre NUTRICIONISTA

Sobre AGENDAR CONSULTA

Sobre OUTRAS ESPECIALIDADES MÉDICAS